IMPOSTO DE RENDA 2016: COMO DECLARAR SEUS INVESTIMENTOS

imposto-de-renda-2016_01

Hoje iremos falar de um assunto que causa muitas dúvidas na cabeça de muitos investidores, que é a declaração de imposto de renda. É importante que você não deixe para fazer a declaração do Imposto de Renda 2016 de última hora, ainda mais se ainda tiver dúvidas.

Nesse post quero mostrar para você como deve declarar seus investimentos para o imposto de renda, seja investimento em tesouro direto, LCI e LCA.

Fique Atento aos Prazos e Informações

 

A primeira coisa que precisa ficar atento é o prazo máximo para declarar o imposto de renda 2016, que no caso termina as 23h59 do dia 29 de Abril.

Para você fazer a declaração, precisa baixar para seu computador o programa da Receita Federal e reunir as informações necessárias para o imposto de renda 2016, como no caso estamos falando de investimento, você precisa ter em mãos o “Informe de Rendimentos” que deverá ser fornecido por sua corretora, ou banco.

Quando tiver em mãos esses dois itens estará pronto para fazer sua declaração de imposto de renda 2016.

Você deve ficar atendo aos números digitados, quando for escrever seus rendimentos. Isso porque seus ganhos serão verificados pela Receita Federal, cruzando com os dados prestados pelas fontes pagadoras.

Esse ano houveram algumas modificações, uma delas é a exigência de incluir o CPF de dependentes a partir dos 14 anos de idade (lembrando que antes era a partir de 16), despesas e as aplicações financeiras também devem ser declaradas.

Sobre os Investimentos

 

Suas aplicações podem ser divididas em dois pontos: as isentas e as que sofrem tributação. Claro, as duas devem ser declaradas no imposto de renda.

As que sofrem tributação a alíquota da tributação do imposto de renda sobre o investimento é basicamente 15%, sendo que esse valor pode variar dependendo do tipo de aplicação, tanto para mais quanto para menos.

Outro ponto importante que deve ser lembrado é que devem ser declarados no imposto de renda 2016: saldo, rendimentos e ganhos capitais.

O saldo de cada investimento até 31/12/2015 devem ser informados individualmente na aba “Bens e Direitos” com o código da aplicação especifica. Por exemplo, o código da caderneta de poupança é 41.

Se tratando dos rendimentos adquiridos através de investimentos, devem ser feitos na aba “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis” ou “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva”. E nessa última aba você também pode fazer declaração dos ganhos capitais, apurados no resgate das aplicações financeiras.

Saiba que existe um valor mínimo no qual é obrigatória a declaração. Esse valor é de R$140,00 para saldo em conta corrente e aplicações financeiras. Para ações esse valor sobre para R$1.000,00.

Fundos de Investimento

 

Os fundos de investimento são mais fáceis para declarar. O saldo do investimento também deve ser feito na aba “Bens e Direitos” entre os códigos 71 a 79, se tratando é claro, da forma de investimento. No campo “Discriminação” deve informar o nome da instituição financeira, o CNPJ e a quantidades de cotas do fundo.

Se tratando dos rendimentos, devem ser declarados no campo “Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva” e no “Rendimentos de Aplicação Financeira”, que no caso é item 6.

Espero que estas informações sejam úteis na hora de fazer a sua declaração, até o próximo post.